104 FM - A mais legal!

Jornal 104FM

Atlético fica mais perto de vaga na Sul-Americana


Chamada de “Segunda Divisão da Libertadores” pelo presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, a Copa Sul-Americana está mais perto de ser realidade no clube em 2019 – por ironia do destino. Com apenas uma vitória nos últimos oito jogos do Campeonato Brasileiro, o time alvinegro, que tinha a vaga no G6 ‘na mão’, está em ‘queda livre’ nas últimas rodadas e agora corre sério risco de não se classificar para a Libertadores.

De acordo com dados do Departamento de Matemática da UFMG, a chance de classificação do Atlético para Libertadores é de 28,4%. Com os mesmos 46 pontos do Galo, o Santos tem quase o dobro de possibilidade de terminar a competição nacional no G6. Segundo os números, o Peixe registra 54,3%.

Desde a 10ª rodada no G6, o Atlético poderá deixar o grupo que garante vaga na pré-Libertadores no próximo fim de semana. O time enfrentará o líder Palmeiras – os paulistas não perdem há 17 jogos no Brasileirão – enquanto o Santos pega a Chapecoense, que vem mal no campeonato e luta contra o rebaixamento. 

E não é somente o Santos que ameaça a vaga do Atlético. Nono colocado, com 43, o Atlético-PR recebe o oitavo Cruzeiro. Se vencer e o Galo perder, o Furacão ultrapassará os mineiros – empatará na pontuação, mas irá superar no saldo de gols. E o retrospecto do time paranaense em casa é impressionante: a equipe vem de dez vitórias seguidas como mandante no Brasileirão.

Diante da queda brusca de rendimento do Atlético, o Departamento de Matemática da UFMG calcula que a equipe alvinegra tem 71,5% de chances de ir para a Sul-Americana, justamente a competição desprestigiada por Sette Câmara em maio deste ano, quando o clube poupou os titulares e foi eliminado pelo San Lorenzo ainda na primeira fase. Em entrevista ao canal Fox Sports, o presidente atleticano disse que não estava arrependido pelo fato de a equipe ter entrado com os reservas porque o torneio equivale à segunda divisão da Libertadores.

“Sem dúvida foi a melhor decisão a ser tomada. É um torneio que, em primeiro lugar, paga pior, um torneio que dá muito trabalho de logística, toda paga pelo clube”, declarou.

“Eu acho que a Copa Sul-Americana é a segunda divisão da Libertadores da América. É assim que eu enxergo. Se ela tivesse esse valor muito grande, as duas copas que o Atlético ganhou da Conmebol teriam mais valor do que na verdade têm. No entanto, a gente não vê sendo valorizadas assim, e olha que, naquela época, quem classificava para a Conmebol não era o nono, o décimo, o décimo primeiro não, era o segundo e o terceiro do Campeonato Brasileiro. Então, assim, eu acho que a Sul-Americana, além de pagar pouco, ela tem pouco valor, você vê até pelos próprios públicos que vem comparecendo nas partidas, são públicos pequenos se comparados com os públicos que você vê na Libertadores”, completou.

Fonte: Itatiaia