104 FM - A mais legal!

Jornal 104FM

Selena Gomez é otimista ao tratar depressão e ansiedade


Selena Gomez voltoua se internar em uma clínica de reabilitação e, à revista "Harper´s Bazaar" americana, a artista abriu o jogo sobre sua saúde mental. Entrevistada pela atriz, Katherine Langford, protagonista da série "13 Reasons Why", da qual Selena é produtora, a namorada de Justin Bieber - com quem se reconciliou após seu transplante de rim - admitiu estar otimista para 2018. "Vou dizer sim porque acredito nisso pra mim. E quem me conhece sabe que sempre vou priorizar minha saúde e meu bem-estar. Eu tive muitos problemas com depressão e ansiedade, e eu tenho aberto o jogo sobre isso, mas não é algo que eu sinta que consiga superar um dia. Não haverá um dia em que eu fique, 'Aqui estou com um vestido bonito! Venci!'", argumentou a jovem de 25 anos. 

'UMA BATALHA QUE VOU ENFRENTAR PELO RESTO DA VIDA', AFIRMA CANTORA
Eleita a Mulher do Ano no "Billboard Women in Music de 2017", Selena se mostrou madura ao lidar com a doença. "Acho que é uma batalha que eu vou ter que enfrentar pelo resto da minha vida, e estou bem com isso porque sei que estou me escolhendo antes de qualquer outra coisa. Estou começando meu ano com esse pensamento. Quero ter certeza de que estou saudável. Se isso for bom, tudo mais vai ficar no seu lugar. Eu realmente não estabeleço objetivos porque não quero ficar desapontada se eu não alcançá-los, mas eu quero trabalhar na minha música também", disse a americana, elogiada por Pattie Mallete, mãe do astro canadense. Selena contou ainda como sua carreira ficou diante de tudo isso: "O meu próximo álbum está sempre sendo feito. Quando as pessoas me perguntam o porquê, sou honesta sobre isso: é porque eu não estou pronta. Quero dizer, não me sinto suficientemente confiante sobre onde minha música ainda está. Se isso demorar 10 anos, demora dez anos. Eu não ligo. Agora eu só quero ser super dedicada com todas as coisas que estou fazendo".

'TENHO UM RELACIONAMENTO COMPLEXO COM INSTAGRAM', ADMITE SELENA
Na entrevista, a artista voltou a admitir não lidar muito bem com as redes sociais. "Tenho um relacionamento complexo com Instagram, para dizer o mínimo. Ele me deu uma voz em meio a todo o barulho das pessoas tentando narrar minha vida por mim e me permite dizer: 'Ei, vou publicar isso, e isso vai cuidar das 1.200 histórias que as pessoas acham que são interessantes mas na verdade não são, e nem sequer são verdadeiras. Então, ele me capacita dessa maneira porque são minhas palavras e minha voz e minha verdade'", disse mencionando a rede social na qual deixou de seguir a mãe, Mandy Teefey, e artistas como Demi Lovato e Gigi Haddid. Ela ainda acrescentou uma preocupação recorrente: "A única coisa que me preocupa é o valor das pessoas que nossa idade colocam nas mídias sociais. É uma plataforma incrível, mas de muitas maneiras, é dada aos jovens - inclusive a mim - uma falsa representação do que é importante. Então, sim, é uma relação complexa. Provavelmente um dos meus relacionamentos mais difíceis".

Fonte: Purepeople