104 FM - A mais legal!

Jornal 104FM

Desafio da 'Baleia Azul' tem assustado pais em todo o Brasil


As redes sociais tomaram conta da vida das pessoas. É difícil encontrar quem não navegue por algum tipo de site ou de aplicativo. O problema é que no meio de tanta oferta há algumas armadilhas. É o caso do desafio da 'Baleia Azul', um jogo on-line, difundido no mundo todo, que pode convencer o participante a fazer provas perigosas e até a se matar. 

Segundo informações o desafio já fez possíveis vítimas em Pará de Minas, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Curitiba, São Paulo e Paraíba.

O jogo consiste em uma série de 50 desafios, que devem ser cumpridos diariamente e que chegam por meio de mensagens pelas redes sociais como WhatsApp e Facebook.
Há desde tarefas simples, como desenhar uma baleia num papel, até outras muito mais complexas, como cortar os lábios ou furar a palma da mão. Em outra tarefa, o participante deve “desenhar” uma baleia em seu antebraço com uma lâmina. O quinquagésimo desafio é sempre o mesmo: suicídio.

O desafio começou na Rússia, em 2015, quando uma jovem de 15 anos se jogou de um edifício. 

A série americana da Netflix "Thirteen Reasons Why" ou Os 13 porquês, tem abordado o suicídio de jovens que sofrem com bullying e aumentado o debate sobre esse assunto. 

ALERTA AOS PAIS

A psicologa Elisângela Lima fez um alerta aos pais, professores e responsáveis sobre o comportamento dos adolescentes que podem dar sinais de que eles podem estar participando do jogo e quais as formas de ajuda-los.

1 - Os pais devem atrair a confiança dos filhos através do diálogo franco e aberto sem qualquer tipo de repressão para que no primeiro sinal de perigo a criança possa sentir-se à vontade e procurar sua ajuda, confidenciando-lhes o que está acontecendo; 

2 - Observe o comportamento estranhos dos filhos tais como isolamento, tristeza aguda, decepção amorosa, comportamentos depressivos, atitudes suicidas;

3 - Preste atenção no corpo de seu filho se não existe sinais de mutilação ou queimaduras e se ele de repente está usando camisas de mangas compridas para evitar a exposição de tais marcas;

4 - Há tempo para tudo. Evite que seus filhos fiquem expostos há altas horas na internet e assistindo filmes na televisão pela madrugada. 

5 - Observe se ele não está saindo de casa escondido em horários pela madrugada com o objetivo de cumprir tarefas impostas pelo jogo;

6 - Os pais devem supervisionar os acessos dos filhos de uma forma discreta; A vida moderna exige que os pais tenham pelo menos conhecimento básico de internet – peça ao seu filho para ser adicionado nas redes sociais deles, fazendo isso você poderá saber o que está se passando com ele e com quem eles estão interagindo. Caso os pais não tenha idade para aprender a conviver com este mundo virtual eles devem delegar tal tarefa para um parente mais próximo (irmão, primo, sobrinho) a quem o adolescente seja próximo e confie; 

7 - Quando possível deixe o computador num local comum e visível da casa; 

8 - Se vetar alguma página explique as razões e os perigos da rede; 

9 - Evitar expor informações particulares e de dados pessoais em demasia: (telefones, endereços, CPF, horário que sai de casa e para onde está indo, localização acessível o tempo todo, etc);

10 - Evitar colocar fotos tais como: locais onde frequenta (clubes, teatros, igrejas), carros (a placa localiza o endereço), casa (mostra onde a pessoa mora); 

11. - Nunca incluir desconhecidos nos contatos; 

OUTRAS FORMAS DE OBTER AJUDA

1 - Também as escolas devem colocar o assunto em pauta e incorporar no currículo, cada vez mais, a educação para a valorização da vida, o respeito pela vida dos outros e o uso consciente das mídias e tecnologias.

1 - E, por fim, não custa lembrar que o CVV (Centro de Valorização da Vida) presta um serviço incrível por meio do telefone 141 e você sempre pode buscar órgãos apropriados como a SaferNet e autoridades locais.

POLÍCIA MILITAR

A Polícia Militar orienta que caso perceba alguém com esses sinais e marcas pelo corpo, saída de casa em horários estranhos, entre outros, avise os pais ou responsáveis, ajude a sair desse golpe. Caso você esteja participando, saia imediatamente e bloqueie o curador/bandido.

1 - Denuncie nos grupos. Se você perceber algum amigo postando fotos e mensagens estranhas nas redes sociais, talvez ele esteja jogando o “Baleia Azul”, não ignore, denuncie. O próprio Facebook possui ferramentas de denúncia.

2- Você poderá lavrar um boletim de ocorrência em uma delegacia e caso você tenha acesso às conversas trocadas entre o mentor e o jogador, pode comparecer a um cartório de notas onde será lavrada uma ata notarial, dando fé pública ao conteúdo das mensagens (essa ata será importante fonte de prova caso as mensagens sejam apagadas). 

3 - Verificar o conteúdo das mensagens que são espalhadas nas redes sociais como lista de atividades falsas, boatos sobre mortes e fotos de pessoas mutiladas.

TIPIFICAÇÃO PENAL

A conduta dos mentores do Baleia Azul é criminosa. "Induzir (criar a ideia de suicídio em alguém), instigar (incentivar alguém que já estava pensando em suicídio) ou auxiliar (ajudar materialmente o suicida) o suicídio de outra pessoa é crime, de acordo com o artigo 122 do Código Penal, punido com pena de 02 a 06 anos de prisão caso o suicídio se consuma ou de 01 a 03 anos de prisão caso a tentativa de suicídio resulte em lesão corporal grave. Caso tais pessoas sejam menores, as condutas criminosas que praticarem entram como ato infracional, estando sujeitos às penalidades instituídas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. A indenização cível deverá ser paga pelos seus responsáveis legais.

Fonte: 104 FM